terça-feira, 30 de outubro de 2007

SOCIALISMO DO SÉCULO 13


O QUE MAIS UM CORONEL QUE TENTOU GOLPE MILITAR ANTES DE SER ELEITO PODERIA FAZER? O QUE MAIS UMA REVOLUÇÃO SOCIALISTA PODERIA FAZER? CRESCIMENTO ECONÔMICO VERDADEIRO? LIBERDADE? DIREITO DE EXPRESSÃO? DEMOCRACIA? BEM-ESTAR?

REVOLUCIONÁRIOS SÃO TODOS IGUAIS. E SUAS REVOLUÇÕES CAEM NA VALA COMUM. FIDEL CASTRO, MENTOR INTELECTUAL(?) DE TODOS OS REVOLUCIONÁRIOS LATINO-AMERICANOS, QUE O DIGA.



Chávez promete acabar ?aos poucos? com a propriedade privada no país

Presidente venezuelano reitera ameaça, incluída na reforma constitucional, no lançamento da campanha pelo referendo

Renata Miranda

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, reafirmou na noite de terça-feira que usará a reforma constitucional para "desmontar progressivamente" o conceito da propriedade privada no país que, segundo ele, não tem lugar dentro de sua "revolução socialista do século 21".

A ameaça foi feita durante o lançamento de seu "comando de campanha" para o referendo de 2 de dezembro sobre a reforma constitucional. Esse comando se encarregará de organizar "batalhões de revolucionários" que sairão às ruas para explicar o funcionamento do referendo e motivar os eleitores a votarem. No referendo que aprovou a atual Constituição Bolivariana, de 1999, o índice de abstenção chegou a 56%.

De acordo com Chávez, sua proposta de mudança de 33 artigos da Constituição garantirá "a socialização dos meios de produção, da propriedade pessoal, da familiar, a pequena propriedade privada e a pequena e média empresa". O texto proposto, e que irá a referendo, prevê cinco tipos de propriedades: a social, pertencente ao povo e controlada pelo Estado; a coletiva, pertencente a grupos sociais ou comunitários, mas sob o controle do Estado; a mista, com participação do setor privado e do Estado, mas sob o controle deste; a pública, administrada pelo governo; e a privada, que poderá ser confiscada quando afetar os direitos de terceiros ou da sociedade.

"Não queremos a empresa privada com o objetivo de acumular riqueza às custas da miséria dos demais e vamos desmontá-la progressivamente", afirmou o presidente, sob um gigantesco painel no qual aparece sua foto com o braço esquerdo erguido e o punho cerrado. "Queremos uma empresa que trabalhe em função do socialismo e dos interesses sociais, produzindo aquilo que é necessário para satisfazer as necessidades da comunidade.

" Para o cientista político venezuelano Alfredo Ramos Jiménez, diretor do Centro de Investigação de Política Comparada da Universidade dos Andes, em Mérida, as constantes ameaças do presidente fazem parte de uma estratégia do governo para desviar a atenção do público para outros problemas do país. "O debate que Chávez está promovendo é uma cortina de fumaça para ocultar o fracasso econômico que está sendo seu governo", disse Ramos Jiménez ao Estado, por telefone. Segundo ele, o governo venezuelano não está sabendo aproveitar a atual "bonança" petrolífera - o país é o quinto exportador mundial de petróleo. Um exemplo disso, segundo Ramos Jiménez, é o aumento anunciado nos últimos dias dos impostos sobre bebidas e cigarros, programados para entrar em vigor semana que vem na Venezuela. "O governo necessita de recursos e usa esses impostos e o socialismo como desculpa", acrescentou. Ramos Jiménez explica que a vontade de Chávez de acabar com a propriedade privada não é bem recebida nem na sua base política. "Muitos dos chavistas estão entre os ?novos ricos? da Venezuela e são contra essa atitude de Chávez.

"Outro analista venezuelano, Alberto Garrido, autor de vários livros sobre o chavismo, diz que, com a reforma constitucional, o presidente venezuelano pretende uma transição menos brusca do capitalismo para o socialismo. "A Venezuela busca o socialismo, sem ser socialista, resume Garrido.

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20071011/not_imp63353,0.php

MOMENTO PROTESTANTE...

Tornar a ver

Certa vez Jesus perguntou ao cego: “Que queres que eu te faça?” E o cego não parou para pensar se pediria dinheiro, a Mônica Veloso, uma Ferrari, um Mont Blanc com vidro de safira, uma garrafa de Romanée Conti ou algo que muitas vezes parece ser a coisa mais importante de nossas vidas. Mas rapidamente respondeu com sua real necessidade: “Mestre, que eu torne a ver”.

Veja que ele diz “Mestre” e, depois, “torne a ver”. Ele conhecia Jesus. Já havia ouvido falar no operador de milagres, no perdoador de pecados, no Cristo piedoso e poderoso. E reconheceu Jesus não como um mágico, falso profeta ou charlatão gospel que fala o crentês; mas como seu Mestre!
Veja também que o cego já havia tido a bênção de poder ver boas coisas na vida. Se tivesse visto apenas desgraça não pediria para tornar a ver. Que fez Jesus? Pediu licença e foi ver o Corinthians cair para a segunda divisão? Entregou a ele um cartão e disse: “Tá aqui ó, liga pro meu pastor”? Filosofou sobre as Escrituras e fez pose de crentão do fogo? Não! Entrou em ação, exerceu autoridade e ordenou que ele fosse dali, daquele local de destruição, de derrota, de morte, pois sua fé no Mestre o havia salvado. Salvado? Mas a necessidade não era tornar a ver? Pois bem, exercitando sua fé no Mestre que perdoa pecados e cura enfermos, o condenado à escuridão é salvo pela compaixão de Jesus, curado pelo poder de Deus e guiado pela luz do Espírito Santo, como relata o versículo 52 de Marcos 10: “E imediatamente tornou a ver e seguia a Jesus estrada fora”.

Muitos desejam intensamente tornar a ver. Tornar a ver uma vida que valha a pena, tornar a ver o profundo significado da Palavra, ver a atuação do Espírito Santo em sua vida, ver a glória de Deus para poder seguir a Cristo pela estrada fora!

Ver nada mais é do que conhecer por meio do sentido da visão. Jesus conhecia aquele cego mesmo antes de tê-lo visto. Mas mesmo assim perguntou o que ele queria. Você consegue ver olhos tristes num rosto que ri? Consegue ver olhos de culpa num rosto acusador? Ver olhos de ternura num rosto de ditador? Consegue ver olhos de desespero num rosto tranqüilo? Ver olhos de Torquemada num rosto de Madre Teresa? Olhos de leão num rosto de Daniel? Olhos de lobo num rosto de cordeiro? Olhos de serpente num rosto de pomba? Consegue ver olhos de Leão X num rosto de Lutero? Olhe, observe, perceba, enxergue, veja e conheça.

Se tornarmos a ver a Cristo como Mestre, em sua essência, em seu desejo mais íntimo, em seu mandamento de amor ao próximo, conseguiremos olhar e ver nos olhos das pessoas o que eles realmente nos querem contar, sua real necessidade.

Pergunte ao próximo o que ele quer que você faça. Coragem! Pergunte! E saia da inércia em nome de Jesus! Exerça a autoridade de Cristo! E no poder do Espírito Santo, ajude ao próximo a ter suas necessidades supridas, seus pecados perdoados, seu corpo salvo e curado. Ajude-o a tornar a ver.


André Arruda Plácido - apjornalista@gmail.com
Relações Públicas e Jornalista
http://fotologue.jp/andrearrudaplacido

MOMENTO RELAX COM DALBORGA!

video

ESSE CARA É UMA FIGURA CONHECIDA AQUI NO PARANÁ. ESTÁ FORA DA TV HÁ ALGUNS ANOS... É SÓ RISADA...

MAIS DA ÉTICA LULO-PETISTA


MAIS DA ÉTICA DO PT DE LULA-LÁ! INSISTO: VEJA O GRAU DE CRIMINALIDADE EM QUE ESTAMOS ATOLADOS.




Investigação sobre Zeca do PT alcança Delcídio e deputados

Livro apreendido por promotores indica pagamentos mensais a parlamentares
Segundo Ministério Público, esquema de caixa dois no Mato Grosso do Sul teria desviado R$ 30 milhões em verba de publicidade

HUDSON CORRÊA
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

Na investigação sobre esquema de caixa dois supostamente comandado por Zeca do PT, que governou o Mato Grosso do Sul de 1999 a 2006, o Ministério Público Estadual apreendeu livro com anotações de pagamentos mensais atribuídos ao senador Delcídio Amaral (PT-MS) e a dois deputados federais petistas do Estado, Vander Loubet e Antônio Carlos Biffi.

O esquema, segundo o Ministério Público, desviou R$ 30 milhões em verbas de publicidade durante o governo de Zeca. A suspeita dos promotores é de que o dinheiro desviado tenha sido usado para pagamento aos parlamentares citados no livro. Os três negam.

Raufi Marques, ex-secretário de Governo de Zeca do PT, disse à Folha que pediu à sua então secretária e ordenadora de despesas Salete Terezinha de Luca que fizesse as anotações. O livro foi apreendido na casa de Salete. Raufi afirma, porém, que as anotações se referiam a campanhas eleitorais e à disputa interna pela direção estadual do PT. "Não tinha nada a ver com o governo. Preciso analisar para ver a que se referem.

"Por causa do suposto esquema, o ex-governador foi denunciado pelo Ministério Público por peculato (desvio de dinheiro público) em duas ações diferentes. Ontem, a Justiça Estadual aceitou ambas.

A lista de supostos pagamentos ainda inclui, conforme a Promotoria, deputados estaduais, o presidente estadual do PT, Mariano Cabreira, e o ex-deputado federal João Grandão (PT-MS). Os pagamentos mensais teriam ocorrido de agosto de 2004 a abril de 2005.

O promotor Marcos Antônio Martins Sottoriva disse que encaminhou na semana passada o livro com anotações para a Procuradoria Geral da República em Brasília, que pode pedir ao STF (Supremo Tribunal Federal) investigação contra deputados e senadores -com foro privilegiado, não podem ser investigados em nível estadual.

O Ministério Público também fará uma perícia no livro, que já foi anexado à ações penais movidas contra o ex-governador na Justiça de MS.

No livro, segundo os promotores, aparece anotado o seguinte: "dep. Biffi, dep Vander, dep João Grandão, sen Delcídio". Ao lado de cada nome, aparece escrito "25.0", que os promotores dizem acreditar ser o valor de R$ 25 mil.

Conforme a denúncia, Zeca do PT e Raufi Marques pediam à funcionária do governo Ivanete Leite Martins que procurasse agências de publicidade que tivessem contratos públicos para "levantar dinheiro".

Após não conseguir ajuda de petistas para conseguir emprego e fazer o tratamento de saúde da mãe, Martins procurou a imprensa no início do ano para revelar o suposto esquema, que funcionaria da seguinte forma:

Agências de publicidade apresentavam orçamento falso para prestar os serviços encomendados pelo governo, como, por exemplo, a confecção de cartilhas educativas.

O trabalho não era feito, mas gráficas em acordo com as agências apresentavam notas frias para cobrar pelo serviço -segundo a Promotoria, com o conhecimento de Zeca do PT. O governo pagava pelo trabalho. A agência ficava com 15% do valor e a gráfica com até 17%. O resto do dinheiro voltaria ao gabinete do governador em esquema de caixa dois para pagamentos, diz a Promotoria.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

LULA AVISOU: NÃO HÁ PARTIDO MAIS ÉTICO DO QUE O PT

LULA BEM QUE AVISOU: NÃO HÁ PARTIDO MAIS ÉTICO DO QUE O PT.

LEIA E VEJA O GRAU DE CRIMINALIDADE EM QUE ESTAMOS ATOLADOS...



Livro-caixa aponta mensalão de Zeca do PT, diz Ministério Público

Promotores de MS apreenderam documento com cerca de 100 nomes de parlamentares e servidores do Estado

Fausto Macedo, CAMPO GRANDE

Cópia de livro-caixa em poder do Ministério Público de Mato Grosso do Sul indica suposto pagamento de mensalão pelo ex-governador do Estado José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT. O documento - com cerca de 100 nomes de deputados, vereadores e servidores municipais e estaduais, de escalões diversos - foi localizado e apreendido na residência de Salete Terezinha de Luca, técnica contábil e ex-ordenadora de despesa da Secretaria de Coordenação-Geral de Governo.

O Ministério Público suspeita que parlamentares recebiam valores em troca de apoio à gestão Zeca do PT. Ele foi governador duas vezes, entre 1999 e 2006. Salete teria exercido o papel de pagadora do mensalão.

Uma força-tarefa composta por seis promotores de Justiça investiga o petista e o acusa pelos crimes de peculato e uso de documento falso, além de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito.

Os seis promotores que esmiúçam a vida de Zeca do PT são: Marcos Antonio Martins Sottoriva, Silvio Amaral Nogueira de Lima, Marcos Fernandes Sisti, Jiskia Sandri Trentin, Clóvis Amauri Smaniotto e Gilberto Robalinho da Silva.

A promotoria requereu judicialmente, no início de outubro, a condenação do ex-governador, a quem acusa formalmente por meio de duas denúncias, acolhidas pela 2ª Vara Criminal. Na última sexta-feira, no entanto, o desembargador João Batista da Costa Marques, do Tribunal de Justiça, mandou suspender uma das ações contra Zeca do PT.

Em outras duas ações, de caráter civil, a promotoria pediu, liminarmente, a indisponibilidade dos bens móveis e imóveis do ex-governador. Também foi solicitada a quebra do sigilo bancário de Zeca no período entre 2004 e 2006. A Justiça ainda não decidiu a respeito.

Os promotores suspeitam que as benesses concedidas em dinheiro vivo não ficavam restritas só ao Legislativo e que o suposto esquema mantinha ramificações dentro do próprio governo de Mato Grosso do Sul.

ROTEIRO

O livro-caixa, com quase 80 páginas, é um roteiro de pagamentos "por fora" que teriam sido realizados durante os dois mandatos de Zeca, avalia o Ministério Público. Os promotores sustentam que o diário apreendido representa "forte indício" da existência de um mensalão nos moldes daquele que o PT promoveu na esfera federal, descoberto em 2005, e que a CPI dos Correios desmontou.

O dinheiro do mensalão de Zeca teria origem em desvios na área de publicidade, presumem os promotores. Ainda segundo as investigações, o rombo pode ter atingido R$ 30 milhões. A devassa mostra também que transações com agências de publicidade abriram caminho para "grandioso esquema de corrupção".

Os promotores alegam que o governo contratava as agências, que nem sequer realizavam os serviços. A contabilidade era feita com notas fiscais frias. Uma gráfica, a Sergrapf, cobrava entre 12% e 17% do valor de nota. Desse montante, 15% ficava com a agência e o restante voltava ao governo para a distribuição "a servidores públicos envolvidos no ilícito".

As anotações manuscritas no livro-caixa apontam nomes ao lado de valores e das letras "PG". Um dos nomes que aparecem na lista é o do deputado estadual Ari Artuzzi (PMDB).

São dois lançamentos que fazem referência ao parlamentar. Apesar de negar ter recebido propinas, ele admite que conhece Salete. Na página 19 do livro são citados quatro vereadores de Campo Grande, cada um associado a R$ 5 mil. Na mesma página, abaixo das palavras "complementação/suprimento", aparece uma anotação: "Lista Brasília".

Balanço parcial revela pagamentos que podem ter somado R$ 584,44 mil em um único mês de 2005. Em outro trecho do volume surgem14 nomes ligados a secretarias do Estado e autarquias. Pelo menos três coronéis aparecem com freqüência no caderno, assim como três letras maiúsculas: "MST".

A blitz na casa de Salete ocorreu em agosto. As despesas eram autorizadas por ela, asseguram os promotores, e pagas por ordem bancária às agências de publicidade. O objetivo seria dar aparência de legalidade às fases de execução da despesa pública - empenho, liquidação e pagamento. "A conduta de José Orcírio feriu princípios essenciais da administração pública", acusam os promotores.

Apresentado à Justiça na sexta, o caderno foi anexado pelos promotores aos autos das duas ações penais e das duas ações civis propostas contra o ex-governador. Na quinta, a promotoria mandou fazer perícia no livro e exames grafotécnicos.

"Entre janeiro de 2005 e dezembro de 2006, o governador José Orcírio Miranda dos Santos e o secretário de Coordenação-Geral de Governo, Raufi Antonio Jaccoud Marques, em estratagema gerado no âmbito desta secretaria, valeram-se reiteradamente dos contratos celebrados com as agências de publicidade para desviar recursos públicos por meio de notas frias apresentadas como serviços de impressão, reimpressão e criações diversas", afirmam os promotores.

AGÊNCIAS

O Ministério Público também diz ter encontrado documento com assinatura de Zeca, que autorizou pagamentos a agências de publicidade em 28 de dezembro de 2006, a três dias do encerramento de seu segundo mandato.

Nesse documento, que os promotores anexaram a uma das denúncias criminais contra Zeca, a então subsecretária de Comunicação Ivanete Leite Martins solicita à superintendente de Administração e Finanças, Rosely de Barros Lavarda Dallamico, a divisão dos números de programação de desembolsos (PDs) de 2006 "a pedido do Tesouro pela indisponibilidade de recurso financeiro para a quitação total das despesas".

Ivanete é testemunha-chave do Ministério Público. Apontada como elo do governo com empresários de publicidade, ela acusa o ex-governador de "participar diretamente" de reuniões para acertar comissões.

O valor que Zeca liberou para três agências ao fim de sua gestão chegou a R$ 257,4 mil. Entre 2005 e 2006, ele mandou pagar R$ 122 milhões às agências que contratou.

AMERICA LATINA É ISSO!


AMÉRICA LATINA É ISSO, SERÁ SEMPRE ISSO E PIOR: NUNCA DEIXARÁ DE SER... ISSO!



Cristina Kirchner é eleita presidente da Argentina

Roger Modkovski Enviado especial do UOL Em Buenos Aires (Argentina)*
Com mais de 96% das mesas eleitorais apuradas, os números indicam que a peronista, senadora por Buenos Aires e primeira-dama Cristina Fernandes de Kirchner, 54, tornou-se nesta segunda-feira (29) a primeira presidente eleita da história da Argentina.


sexta-feira, 26 de outubro de 2007

QUE MARAVILHA!!!

QUE NOTÍCIA SENSACIONAL. É TUDO QUE A DEMOCRACIA NECESSITA: LULA-LÁ VISITANDO O DITADOR MILITAR FIDEL CASTRO, SEU ÍDOLO E MENTOR.

PARA LULA, NÃO HÁ PROBLEMA ALGUM TER UM DITADOR NA "FAMÍLIA LATINO-AMERICANA".

NUNCA CONFIE EM ALGUÉM QUE SE DIZ REVOLUCIONÁRIO. HÁ UM DITADOR ESCONDIDO DENTRO DELE...




Lula pretende visitar Fidel em novembro


A visita, que ainda não tem confirmação oficial, seria a primeira do presidente a Havana desde sua reeleição

Reuters

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende visitar seu colega cubano Fidel Castro em novembro, numa viagem cujo objetivo é reforçar a cooperação do Brasil com a ilha comunista.

A visita, que ainda não tem confirmação oficial, seria a primeira de Lula a Havana desde sua reeleição em 2006 e a segunda desde que chegou à Presidência em 2003, quando assinou com Fidel acordos de cooperação nas áreas financeira, agrícola e turística.

O líder cubano, que se afastou temporariamente do poder após uma doença não revelada, compareceu à posse de Lula em 1º de janeiro de 2003.

"A visita a Cuba é altamente provável", disse uma fonte do governo à Reuters sob a condição de não ter seu nome revelado.

Havana seria a última escala de uma viagem de Lula que incluirá também visitas ao Haiti e à República Dominicana.

A possível visita de Lula a Cuba vem a público no mesmo dia em que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou que sua política em relação a Havana é a de buscar "liberdade" e não estabilidade para a ilha.

No primeiro discurso exclusivamente sobre Cuba desde outubro de 2003, o presidente norte-americano disse que os EUA não reconhecerão o governo de Raúl Castro, irmão de Fidel, a quem o líder cubano transferiu o poder após ficar doente, em julho do ano passado.

Lula tem mantido boas relações com Bush, com quem compartilha interesses, especialmente no setor de biocombustíveis.

O presidente brasileiro, no entanto, nunca deixou de lado sua política de amizade em relação a Cuba, e sua diplomacia propôs um diálogo entre a ilha e a "família latino-americana", da qual Havana ficou distante quando foi excluída da Organização dos Estados Americanos (OEA), em 1962.



quinta-feira, 25 de outubro de 2007

DIRETO DA ILHA-PRISÃO DO MILITAR FIDEL CASTRO..


VEJA QUE NOTÍCIA SUPER IMPORTANTE. NEM MESMO SEI COMO CONSEGUI VIVER SEM ELA. SÓ PODERIA SER UMA SUPER MATÉRIA DO GRANDE JORNAL CUBANO JUVENTUD REBELDE. PELO JEITO ATÉ MESMO OS NEURÔNIOS DA TAL "JUVENTUD" ERAM REBELDES: REBELARAM-SE E FUGIRAM...

AH, AMÉRICA LATINA DA IDEOLOGIA DAS CAVERNAS! PERDENDO TEMPO PRECIOSO EM SUA HISTÓRIA.




Fidel Castro praticou tiro ao alvo com arma de escritor

da France Presse, em Havana

Fidel Castro e seus subordinados praticaram várias vezes, sem saber, tiro ao alvo com as escopetas do escritor Ernest Hemingway antes do assalto ao quartel de Moncada em 1953, revelou nesta quarta-feira o antigo encarregado das armas do escritor americano.

"É algo que ninguém sabia. Em 1953, no CCC [Campo de Tiro de El Cerro, em Havana], várias pessoas praticaram tiro sem saber que o faziam com as escopetas de Hemingway", contou ao jornal Juventud Rebelde Fernando Nuez, 75, um aposentado que, quando adolescente, cuidava das armas e acompanhava o escritor nos exercícios.

Já adulto e juiz de concursos internacionais de tiro, Nuez ficou sabendo que aqueles rapazes que praticavam a pontaria eram liderados então pelo jovem advogado Fidel Castro.

"Eu não sabia na época que eles se preparavam para os históricos assaltos de Santiago e Bayamo. Entre eles estavam Fidel, Abel Santamaría, Pedro Miret, Oscar Alcalde e outros", relatou, referindo-se ao primeiro ato de insurreição contra a ditadura de Fulgencio Batista (1952-58).

Nuez recorda que Fidel gostava de atirar com a arma preferida de Hemingway, que, segundo o entrevistado, era um excelente caçador e tinha uma pontaria certeira.

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

O PT DE LULA-LÁ, AQUELE DOS TRAIDORES ÉTICOS...

Gravação da PF sugere doação de R$ 500 mil da Cisco ao PT

da Folha Online

A Polícia Federal interceptou conversas telefônicas durante as investigações da Operação Persona, que relatam uma "doação" de R$ 500 mil ao PT por empresários do setor de informática. O dinheiro seria para obter uma suposta vantagem numa licitação da Caixa Econômica Federal, informa nesta quarta-feira reportagem da Folha (íntegra só para assinantes da Folha ou do UOL).

A PF investigou durante dois anos o suposto grupo criminoso, que apontou um prejuízo de R$ 1,5 bilhão aos cofres públicos entre impostos não pagos e multas. Entre os envolvidos estão Carlos Canevali, fundador da Cisco do Brasil e executivos da Mude Comércio e Serviços Ltda., acusada de ser a importadora oculta da Cisco --Francisco Gondin, José Roberto Pernomian e Fernando Grecco.

Segundo apurou a Folha, o relatório preparado pela PF informa que Grecco conversa com Pernomian, ambos da Mude, para "acertarem valores e datas do negócio de Carlinhos Carnevali com um representante do PT". Em outro momento, a polícia relata um diálogo entre Carnevali e Gondin, em que este cita negócios entre o fundador da Cisco e a Caixa.

Acompanhe as notícias em seu celular: digite o endereço wap.folha.com.br

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

CONVERSA PARA BOI DORMIR (EU BEM QUE AVISEI QUE ESSA SEMANA A COISA TÁ FEIA!)

A renovação do marxismo

Por Christian Ingo Lenz Dunker

A queda do muro de Berlim não representou a derrocada do comunismo nem o fim da história, muito menos a abolição da esquerda. Para a maior parte dos movimentos sociais e pensadores ligados à tradição crítica ou marxista, esse fato simbólico foi o pretexto que faltava para a formação e radicalização de um novo discurso. A revista britânica New Left Review foi um ponto de encontro para essa esquerda alternativa, que havia passado por sucessivas decepções: o humanismo marxista, a reação estruturalista de Louis Althusser, o ativismo maoísta, as inúmeras formas de troskismo, sem falar no socialismo real. A Nova Esquerda tem em comum a desconfiança do fetichismo do Partido, a crítica do economicismo marxista clássico e a recusa da concepção ingênua da ideologia considerada como uma espécie de erro cognitivo da consciência. No lugar soberano e onipotente do Partido, a Nova Esquerda se preocupa em mostrar a precariedade da noção de política em Karl Marx bem como sua ligação instável com políticas claras e definidas que deveriam ser seguidas em obediência silenciosa. No lugar do reducionismo econômico, a Nova Esquerda pretende redescrever a noção de classe, levando em conta o gênero, a cultura e o consumo, e não apenas o paradigma da produção. Finalmente, no lugar da ideologia, entram em cena complexas estratégias de desconstrução, crítica e resistência discursiva ao lado do reconhecimento de que faltaria ao marxismo clássico uma boa teoria sobre a subjetividade.
É nesse contexto que surge a figura de Slavoj Zizek. Ele foi rapidamente percebido como alguém capaz de dar voz a essa renovação do marxismo com sua surpreendente releitura de Georg Hegel aliada a uma potente junção com conceitos do psicanalista Jacques Lacan. Zizek não é um pensador sistemático que nos convida para a arqueologia e a reconstrução de teses, ao gosto da prática universitária corrente; mas também não é um intelectual edificante, ensaístico ou opinativo, interessado apenas em questões pontuais e intervenções localizadas. Seu estilo é o de um intelectual engajado, um pensador que, sobretudo, toma posições. Em geral, tais posições nos fazem rever o próprio mapa, ou as coordenadas simbólicas de que dispomos para localizar a questão tratada. Daí a importância da noção de ato que atravessa seus escritos.
Zizek nasceu em 1949, em Liubliana, capital da Eslovênia, a mais próspera das províncias da antiga República da Iugoslávia, e a primeira a se tornar independente em 1991. Em 1971, ele completou sua graduação em filosofia e ciências sociais e, em 1975, apresentou sua tese sobre A relevância prática e teórica do estruturalismo francês. Filho de comunistas linha-dura, ele vê fracassar sua aspiração ao rápido ingresso no sistema burocrático-universitário. É reprovado no concurso para professor de filosofia e amarga a dura e contemporânea experiência de desemprego. Dois anos depois encontra uma curiosa ocupação no Comitê Central da Liga Comunista da Eslovênia. Sua função é redigir discursos para a burocracia stalinista. Nessa condição, Zizek acompanha a formação do discurso nacionalista sérvio e, particularmente, a construção ideológica da importância da região de Kosovo. Esse minúsculo enclave territorial precisava ser elevado à condição de um lugar glorioso na história do país. Uma espécie de mito das origens necessário para manter a unidade iugoslava. Tudo se passa como se Kosovo, lugar onde os sérvios detiveram o avanço das tropas otomanas em 1349, representasse uma espécie de núcleo traumático, reativado 600 anos depois, adquirindo nessa reativação um valor simbólico estratégico para justificar a ideologia nacionalista nos Bálcãs. Zizek se encontra, portanto, no interior desse projeto de engenharia discursiva às voltas com a produção de uma mitologia histórica. Além disso, fica cada vez mais claro que o marxismo edulcorado dos herdeiros de Josip Tito (o socialismo de empreendimento ou o socialismo de mercado) se legitimava teoricamente como socialismo apenas na tese da burocracia como classe universal. Porém, essa tese é mais hegeliana que marxista. Isso nos dá uma primeira indicação do caminho teórico de Zizek, que vai de Marx a Hegel e não o contrário.
É nessa posição crítica - entre a impostura do socialismo iugoslavo e o crescente interesse do capital ocidental na emancipação da Eslovênia - que Zizek procura uma alternativa, engajando-se na resistência cultural e política em torno da NSK (Nova Cultura Eslovena). Tal grupo é constituido por uma ampla frente de resistência à burocracia, que inclui o teatro, as artes plásticas, a música e a Escola Lacaniana da Eslovênia. Uma figura emblemática dessa frente é a banda de punk rock chamada Laibach. O manifesto cultural dessa frente adota uma curiosa estratégia: recusa-se a ser reconhecida como uma dissidência e ocupar assim o lugar de oposição. Tal lugar está prescrito e calculado pelo próprio sistema burocrático, de tal forma que toda dissidência se torna inócua e, no fundo, uma paródia. O dissidente, o "alternativo" ou aquele que se acredita "fora do sistema" joga apenas o papel estabelecido pelo sistema que, para se legitimar como democrático, precisa tolerar e estimular a diferença. Os exemplos vão dos expurgos periódicos à pseudo-oposição necessária para manter a burocracia como discurso hegemônico e produzir um efeito ilusório de liberdade de pensamento. Contra isso, a estratégia de resistência adotada pelo NSK está baseada no que Zizek chamou de -superidentificação -( overidentification). Um exemplo: o Partido Socialista Iugoslavo propõe um concurso nacional para selecionar o cartaz em homenagem ao Dia da Juventude (data de nascimento do general Tito). Os dissidentes decidem que não vão participar, afinal, eles repudiam o personalismo contido na idéia de Dia da Juventude. O NSK, ao contrário, envia para o concurso um garboso ensaio fotográfico com musculosos corpos atléticos segurando tochas no mais autêntico estilo social-realista. De fato, vencem o concurso, mas no dia da entrega do prêmio, eles decidem "explicar" sua obra. Tratava-se de um "remake" de um cartaz feito em homenagem a Hitler por ocasião dos jogos Olímpicos de Munique. Ou seja, o prêmio não podia ser entregue, pois se tratava de plágio, e mais, o Dia Nacional da Juventude, junto com seus críticos, fãs e dissidentes mostrou abertamente sua face totalitária ao lado de seu anacronismo estético. Resultado: jamais houve outro concurso de cartazes para o Dia Nacional da Juventude Iugoslava.
Na tática da superidentificação, trata-se de recusar a distância cínica entre a cultura "oficial" e a cultura "alternativa", distância que produz uma separação artificial e enganosa, alienando o sujeito em uma falsa posição "externa" ao sistema. Pela superidentificação, ao contrário, trata-se de tomar as formas simbólicas dominantes pelo seu valor de face e a partir de sua repetição reflexiva produzir desestabilizações internas ao sistema. Renúncia da consciência pessoal, de gostos, juízos e convicções, aceitação voluntária e deliberada do papel da ideologia. Um exagero da falsa aparência cujo objetivo é mostrar seu caráter insensato. A superidentificação tenta reverter, através de intervenções pontuais, a oposição tradicional entre Estado e Sociedade Civil, tematizada por Antonio Gramsci e amplamente explorada pela Liga Comunista Eslovena. Tal estratégia será empregada, com inúmeras variações, nos textos, entrevistas e declarações públicas de Zizek. São intervenções que, tomando ao pé da letra o enunciado ideológico, mostram, em ato, a falsidade de sua enunciação. Em parte, essa nova estratégia de oposição está ligada à experiência intelectual de Zizek, que cresceu em um ambiente no qual a teoria crítica da Escola de Frankfurt ou a fenomenologia de Martin Heidegger formavam um amálgama ideológico utilizado amplamente pelo Partido Socialista Iugoslavo. Ou seja, nenhuma teoria é crítica ou ideológica em si, mas apenas sua articulação.
A teorização dessa estratégia se alimentará da experiência em Paris, durante a década de 1980, quando Zizek estuda psicanálise. Sua tese de doutorado, acerca das relações entre Hegel e Lacan, bem como a análise pessoal empreendida nesse período, começam a sedimentar uma combinação entre crítica da cultura, prática política e estudos acadêmicos, baseada em autores clássicos, que raramente se encontra.
É nesse contexto que, em 1990, Zizek se lança como candidato à presidência da Eslovênia em uma curiosa aliança com o partido Liberal Democrata. O partido Liberal Esloveno reunia, nesse momento, uma diversidade de minorias organizadas que iam do feminismo aos ecologistas, da contracultura artística aos radicais independentes. Vê-se, por isso, como o contato com a diversidade político-cultural emergente não se reduz em Zizek apenas a uma experiência teórica.
A dificuldade e as contradições para articular um projeto político nesse contexto levam Zizek a participar de uma posição política que resulta em apoiar o "choque de capitalismo" em 1995. Finalmente, diante da alternativa de bombardear a Sérvia - desacreditando completamente o papel da ONU - ou não bombardear a Sérvia - e condescender com o morticínio da purificação étnica - Zizek afirmará: "como alguém de esquerda, minha resposta ao dilema 'bombardear ou não' é: as bombas não são suficientes, e elas vêm muito tarde". Em outras palavras, o bombardeio não é um meio legítimo e eficaz, como quer a chantagem ocidental, e para Milosevic as bombas deveriam ter vindo antes. Dois enunciados verdadeiros mostrando a falsidade da enunciação, ou seja, do próprio lugar impossível de onde o dilema é colocado, inclusive desde sua lógica temporal (muito cedo e muito tarde). Estratégia semelhante será assumida diante do ataque de 11 de setembro a Nova York, bem como no caso da invasão do Iraque.
O engajamento de Zizek deve ser encarado de modo diferente da participação ritual em movimentos sociais. Ele está sempre desconstruindo sua própria posição, produzindo aberturas e se relocalizando em novos debates. Como ele afirma em uma entrevista: "Não se esqueça de que comigo as coisas sempre são o contrário do que parecem." O chiste, o humor, a capacidade de reunir erudito e popular, trafegando pela vasta gama de problemas e autores das ciências humanas, do passado e do presente, em linguagem clara e provocativa, colocaram Zizek definitivamente em evidência no final da década de 1990. Zizek conseguiu assim absorver aspectos da retórica do pós-modernismo sem endossar suas teses.
Boa parte dessa recepção pode ser atribuída ao que se supunha estar presente no programa de Zizek. Um autor que parecia representar uma verdadeira e fiel reflexão acerca da desintegração dos Estados socialistas do Leste europeu. Um novo alento para os teóricos da democracia radical e do pós-marxismo. Mas também um autor que parecia colocar finalmente o pensamento lacaniano para fora de sua clausura institucional, pondo-o em contato com as grandes questões do pós-estruturalismo francês, com a filosofia da linguagem anglo-saxônica e com a tradição dialético-fenomenológica germânica. Um autor que trazia, a partir de sua forma original de tratar a cultura, uma franca interlocução com o universo popular do cinema, com a teoria feminista e com o ativismo multiculturalista, sem contar a vasta presença de seus textos na internet. Três públicos que tornaram Zizek convincente no ambiente acadêmico norte-americano. Além disso, suas reflexões sobre a religião e sobre a fragmentação política do capitalismo pós-moderno o tornaram um autor palatável para um público amplo.
Após essa entrada fulgurante, verificou-se uma espécie de decepção. O Marx, que se pressentia reinventado em suas primeiras publicações na New Left Review, trazia consigo a perigosa sombra de Hegel e a ausência de uma teoria sobre os movimentos sociais. Hegel, rejuvenescido pelo contato com as questões da cultura contemporânea, acabava encoberto por sua sombra lacaniana e sua problemática herança recebida de Alexandre Kojève. Finalmente, o Lacan, arejado e funcional, que se intuía de sua colaboração com Ernesto Laclau e Chantal Mouffe, ressentia-se de reflexões mais verticalmente clínicas. Como o próprio Zizek já avisara: nada é o que parece ser. Pois não seria o caso de reaplicar esse dito à própria decepção? Não seria Zizek mais crítico agora que ele parecia dizer o oposto do que gostaríamos de ouvir?

OBRAS DE ZIZEK PUBLICADAS NO BRASIL:- O sublime objeto da ideologia . Jorge Zahar, Rio de Janeiro, 1989.- O mais sublime dos histéricos: Hegel com Lacan. Jorge Zahar, Rio de Janeiro, 1996.- "Como Marx inventou o sintoma", in Um mapa da ideologia. Contraponto, Rio de Janeiro, 1999.- Bem vindo ao deserto do real. Boitempo, São Paulo, 2004.- Às portas da revolução - escritos de Lênin de 1917. Boitempo, São Paulo, 2005.

SOBRE ZIZEK:Dunker, C.I.L. & Aidar Prado, J.L. - Zizek crítico - política e psicanálise na era do multiculturalismo. Hacker, São Paulo, 2005.

Por Christian Ingo Lenz Dunker é psicanalista, professor e livre-docente pelo Departamento de Psicologia Clínica do IPUSP

http://revistacult.uol.com.br/website/news.asp?edtCode=8FE51465-5268-40F5-8990-0D4D00C2B0A4&nwsCode=FD286606-873E-4C18-BA04-3BCB70C8C781

MAIS UMA DIRETO DO PAÍS DOS IMBECÍS (ESSA SEMANA A COISA TÁ FEIA!)

NO PAÍS DOS IMBECÍS, O QUE INTERESSA É QUE A SELEÇÃO BRASILEIRA GOLEOU O EQUADOR POR CINCO A ZERO!
BRASIL, SIL, SIL!!!
Equador exige pagamento da Petrobras por lucro com alta do petróleo

QUITO (AFP) - O Equador exigiu nesta segunda-feira das multinacionais do petróleo que atuam no país, inclusive a Petrobras, o pagamento do dinheiro devido relativo à renda extra obtida com a alta nos preços do produto.O presidente da estatal Petroecuador, Carlos Pareja, disse que a cobrança está amparada na lei aprovada em abril de 2006, que estabeleceu a divisão da renda com a alta nos preços em partes iguais, entre governo e multinacionais.
A dívida pendente até setembro somava 317,4 milhões de dólares, incluindo Petrobras (89,5 milhões), City Oriente (29,9 milhões), a chinesa Petróleum (36,7 milhões), a francesa Perenco (12,8) e a espanhola Repsol-YPF (87,4), entre outras.
A partir de novembro, por determinação do presidente Rafael Correa, a renda com a alta nos preços do petróleo será distribuída da seguinte forma: 99% para o Estado e 1% para as multinacionais.O Equador, que prepara seu retorno à Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), é o quinto produtor sul-americano de petróleo, com cerca de 506.000 barris diários, dos quais 49% extraídos por multinacionais.

DEUS SEJA LOUVADO!!!


PSDB E PT POSSUEM O MESMO DNA MALDITO. SÃO CARUNCHOS DO MESMO FEIJÃO. XÔ!


Alckmin descarta candidatura à Presidência, mas evita comentar eleições municipais

TATHIANA BARBARda Folha Online


O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) descartou nesta terça-feira se candidatar à Presidência da República em 2010. "Já temos dois bons candidatos: José Serra e Aécio Neves. O importante é unir o partido e apresentar um bom programa, uma boa plataforma de trabalho. Vamos trabalhar para unir o partido e vou colaborar para esta unidade partidária. Não me coloco como candidato."
O tucano afirmou, no entanto, que este não é o momento de discutir a sucessão presidencial. "Estamos no primeiro ano do governo federal, mas, como não temos propostas novas, estruturantes, reformas, o governo começa a ficar curto. Cabe a nós, da oposição, não deixar o governo se acomodar."
Alckmin evitou comentar as eleições municipais de 2008. Na semana passada, o presidente do PSDB de São Paulo, José Henrique Reis Lobo, secretário estadual de Relações Institucionais, disse à Folha Online que o partido em São Paulo quer uma candidatura própria em 2008 e que o nome do PSDB à prefeitura é o do ex-governador.
"Tudo tem seu tempo. Não há nenhuma decisão ainda sobre candidatura e isso não precisa ser decidido agora. Mas estou sempre disposto a trabalhar para a população, faço com alegria."
O tucano afirmou que o partido tem ótimos nomes em São Paulo e que pode ter uma candidatura própria. No entanto, ele não descartou eventuais alianças. "Eu acho que o PSDB pode ter candidatura própria, mas eu defendo alianças de forma geral, não só em São Paulo. É mais verdadeiro fazer alianças antes, porque o povo já sabe com quem você vai governar."
CNT/Sensus
Alckmin também comentou o resultado da pesquisa CNT/Sensus, divulgada nesta segunda-feira. Os pesquisadores apresentaram uma lista com os nomes de 22 possíveis candidatos para as eleições de 2010. Nessa lista, Serra aparece com 12,8% das intenções de voto; Alckmin com 11,6% e Aécio, com 9,8%. Como a margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, os tucanos estão tecnicamente empatados.
Eles também estão empatados com Ciro Gomes (PSB), que recebeu 9,4% das intenções de voto. "Eu fiquei muito feliz, porque não sou candidato e estou fora da mídia há um ano praticamente. O povo é muito generoso, caloroso", disse Alckmin. Para o tucano, a pesquisa mostra a confiança do eleitor no PSDB.
http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u337119.shtml

A ÚLTIMA DIRETO DO PAÍS DO IMBECÍS...


Souza Cruz se livra de pagar R$ 500 mil a familiares de ex-fumante

A 10ª Câmara Cível do TJ-PR (Tribunal de Justiça do Paraná) acolheu recurso da Souza Cruz e modificou decisão da 5ª Vara Cível de Maringá que havia garantido R$ 500 mil de indenização aos familiares de uma ex-fumante. Clara Espiguel de Oliveira, que faleceu durante o processo e foi sucedida por seus familiares, entrou na Justiça com pedido de indenização alegando ter desenvolvido doença circulatória em virtude do fumo. Os desembargadores do TJ-PR reconheceram, por unanimidade, a prescrição da pretensão indenizatória da ex-fumante, determinando a extinção da ação, com base no prazo estabelecido no CDC (Código de Defesa do Consumidor). Clara Espiguel ingressou com a ação em 2001, mas segundo informações da empresa, ela teve ciência dos danos alegados desde 1992. O CDC estabelece que o prazo para o ingresso de ações reparatórias em virtude de relações de consumo é de 5 anos contados da ciência do dano. Além disso, no processo, não foi estabelecido o necessário nexo causal entre os danos alegados e o consumo de cigarros da empresa. BalançoA Souza Cruz informa que já foram ajuizadas no país 503 ações indenizatórias contra a companhia e, dentre elas, as 192 que possuem decisão definitiva afastaram as pretensões indenizatórias dos fumantes, ex-fumantes ou de seus familiares.

CPMF POR ALEXANDRE GARCIA...


Quem apóia a CPMF

SITE DO BOM DIA BRASIL

Alexandre Garcia: Pesquisa mostra que apenas 5% dos entrevistados apóiam a recriação da CPMF tal como a Câmara aprovou, com 65% dos votos dos deputados.

Estranha representatividade essa, em que 65% se opõem a 95%.

Uma pesquisa feita há menos de duas semanas pelo Ibope, a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que apenas 5% dos entrevistados apóiam a recriação da CPMF tal como a Câmara aprovou, com 65% dos votos dos deputados. Estranha representatividade essa, em que 65% se opõem a 95%.
Mas, por outro lado, a oposição, tendo todos os mais fortes argumentos na mão, ainda assim, não conseguiu convencer. Venceu quem teve mais votos e perdeu quem pode ter que pagar R$ 40 bilhões de CPMF no ano que vem, fora o acréscimo de quase 2% ao preço final de tudo, que cobra a CPMF até de quem não tem conta bancária.
No Senado, cenas dos próximos capítulos
Agora é mais grave. Não se trata de falta de decoro ou de ética. Não se trata de crime fiscal ou de falsidade ideológica. Agora, são os próprios senadores que se sentem pessoalmente atingidos por Renan Calheiros.
Seja a espionagem para chantagear os senadores Perillo e Demóstenes; seja o afastamento dos dois peemedebistas, Jarbas e Simon, da Comissão de Constituição e Justiça; sejam bisbilhotices para ameaçar os senadores Jefferson Peres, Agripino Maia e outros; seja o arrependimento de Mercadante pela abstenção que ajudou Renan. Até Ideli Salvatti, a líder do PT, recuou alguns degraus na sua defesa de Renan.
Agora, ainda aparece a revista com as fotos e se esgota na banca de entrada do Congresso. Alguns da oposição falam em agitar hoje as fotos no plenário para constranger o presidente que não querem mais.
O governo especializado em blindagem deve tentar separar a CPMF do racha governista no Senado em relação a Renan. Para o governo, que já reconhece o enfraquecimento de Renan, o que pode derrubar o aliado da presidência não pode derrubar a CPMF, que precisa de 49 senadores para ser recriada.

MAIS UMA DA SÉRIE: "O PAÍS DOS IMBECÍS"...


NADA COMO TER UM PRESIDENTE COMPETENTE, ESTUDADO, CULTO, INTELIGENTE, E, SOBRETUDO, CONHECEDOR DA DEMOCRACIA...

SERÁ QUE ELE AO MENOS SABE ONDE FICA O P´RÓPRIO UMBIGO?

VALEU "FORÇA DO POVO" QUE REELEGEU LULA-LÁ E SUA TRUPE MENSALEIRA!


Para Lula, República do Congo 'ensina democracia'

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira que a República do Congo está "ensinando a construir uma democracia cada vez mais forte e na paz".

O presidente fez a afirmação durante um discurso no palácio presidencial da capital do país, Brazaville, no segundo dia do giro que faz por países africanos.Ainda em seu discurso, o presidente ressaltou a importância da democracia para o desenvolvimento. "Para um país se desenvolver, precisamos exercer a democracia, aprender a conviver na diversidade e construindo a paz. Somente na paz os países africanos podem prosperar." Lula fez as afirmações ao lado de Denis Sassou-Nguesso, o presidente congolês. Sassou-Nguesso chegou ao poder pela primeira vez em 1979, com um golpe de Estado, mas deixou o cargo após perder as primeiras eleições multipartidárias do país, realizadas em 1992.

Sassou-Nguesso voltou ao poder em 1997 depois de uma rápida e sangrenta guerra civil, em que contou com o apoio de tropas angolanas. Em março de 2002, ele venceu novas eleições presidenciais em que dois de seus principais concorrentes - o ex-presidente Pascal Lissouba e o ex-primeiro-ministro Bernard Kolelas - foram impedidos de participar devido a novas leis de residência no país. O terceiro rival, Andre Milongo, desistiu da candidatura dois dias antes do pleito alegando que as eleições seriam fraudadas. Lula não fez nenhuma referência a essas eleições.

No mesmo discurso, o presidente disse que a visita à República do Congo é uma retribuição à visita que o presidente congolês fez ao Brasil em 2006 e afirmou ainda que Denis Sassou-Nguesso deve ter se sentido à vontade durante sua passagem por Salvador."Não há nenhuma diferença entre o povo baiano e o povo africano. A Bahia é o Estado brasileiro onde ser negro é motivo de orgulho. O senhor deve ter se sentido em casa", disse Lula ao presidente congolês.O presidente Lula disse ainda que, apesar de ser auto-suficiente em petróleo, o Congo pode se beneficiar do uso de biocombustíveis."Os biocombustíveis têm duas coisas importantes. A primeira é que é uma fonte de energia renovável e limpa. A segunda é que gera emprego e renda para o povo mais pobre." Lula mencionou que, no Brasil, o governo criou um selo social que permite que as empresas que produzem biodiesel comprando de pequenos produtores recebam isenção fiscal do governo. O objetivo da medida, segundo o presidente, é "produzir uma nova sociedade, gerar mais emprego, mais cidadania".

Depois do encontro com o presidente congolês, Lula seguiu para um encontro empresarial. Cerca de 30 empresários brasileiros acompanham o presidente em sua visita por quatro países africanos, buscando oportunidades de negócios.No encontro, Lula afirmou que as trocas comerciais entre Brasil e Congo aumentaram mais de 15 vezes - embora não tenha citado cifras - e que o Congo é uma importante porta de acesso para mercados da África Central. "Assim como o Brasil, o Congo é um país em construção, tem muitos investimentos em infra-estrutura e esses investimentos devem se expandir de forma exponencial", disse o presidente. Lula disse que o conhecimento das empresas brasileiras pode ajudar muito nesse processo e citou a Petrobras e a Vale do Rio Doce como exemplos de companhias que vêem potencial no Congo. O presidente anunciou ainda que o Brasil estuda transformar a dívida bilateral do Congo, equivalente a US$ 360 milhões, em uma linha de crédito para a compra de bens e investimentos. Depois da visita à República do Congo, Lula passa ainda pela África do Sul e Angola. Na segunda-feira, o presidente visitou Burkina Faso.

A ESQUERDA PROGRESSISTA NÃO VAI CRITICAR A EX-MÃE RÚSSIA?


Rússia investirá em novas armas nucleares, diz Putin

Por Michael Stott

MOSCOU (Reuters) - O presidente russo, Vladimir Putin, prometeu na quinta-feira novas armas nucleares como parte da reestruturação militar russa, e argumentou que a experiência do Iraque mostra a necessidade de que países ricos em recursos tenham defesas sólidas.
Em conversa com cidadãos russos via TV, Putin também disse que os Estados Unidos deveriam marcar uma data para retirar todas as suas tropas do Iraque, e alertou Washington a não usar a força contra o Irã.
"Graças a Deus a Rússia não é o Iraque", declarou Putin a um espectador que perguntou sobre a suposta intenção norte-americana de controlar os vastos recursos naturais da Sibéria. "(A Rússia) é forte o suficiente para proteger seus interesses dentro do território nacional e, por sinal, em outras regiões do mundo. O que estamos fazendo para aumentar nossa capacidade de defesa é a escolha correta, e vamos continuar fazendo assim."
Respondendo a um soldado que serve no Cosmódromo de Plesetek, no extremo norte, onde horas antes havia sido testado um míssil de longo alcance, Putin disse que os planos de defesa incluem uma nova tecnologia de armamentos nucleares.
"Vamos desenvolver uma tecnologia de mísseis que inclua complexos (nucleares) estratégicos completamente novos. O trabalho continua, e continua com sucesso. Não só vamos dar atenção a toda a tríade nuclear -- forças estratégicas de foguetes, aviação estratégica e a frota de submarinos nucleares -- como também a outros tipos de armas."
A cerca de dois meses das eleições parlamentares, Putin celebrou o crescimento econômico e a melhoria do padrão de vida no país.
Mas, falando a espectadores de várias cidades, ele admitiu que a inflação, que já atinge 8,5 por cento desde janeiro e supera a meta do governo para o ano inteiro, é um problema, que ele atribuiu a fatores econômicos globais, como cortes nos subsídios agrícolas europeus e a demanda por biocombustíveis.
Putin também argumentou que a crise demográfica russa está se resolvendo, pois a taxa de natalidade atinge seu maior nível em 15 anos e a taxa de mortalidade reduziu-se aos patamares de 1999.
Mais de um milhão de russos se candidataram para fazer perguntas a Putin. É o sexto ano consecutivo dessa entrevista, quase certamente a última do gênero antes de o presidente encerrar seu segundo mandato, no ano que vem. A Constituição o proíbe de buscar a reeleição novamente em março de 2008.
Putin prometeu apoiar alguém que considere capacitado a sucedê-lo. As pesquisas indicam que ele conseguiria transferir sua forte popularidade ao seu escolhido.
Aos 55 anos, o líder do Kremlin afirmou que vai manter sua influência após deixar o poder. Neste mês, ele acenou com a hipótese de se tornar primeiro-ministro. Alguns observadores não descartam que ele tente voltar posteriormente à presidência.

http://noticias.uol.com.br/ultnot/2007/10/18/ult27u63180.jhtm

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

O ROLEX DE HUCK...

Opinião: Pensamentos quase póstumos

LUCIANO HUCK

Luciano Huck foi assassinado. Manchete do "Jornal Nacional" de ontem. E eu, algumas páginas à frente neste diário, provavelmente no caderno policial. E, quem sabe, uma homenagem póstuma no caderno de cultura.
Não veria meu segundo filho. Deixaria órfã uma inocente criança. Uma jovem viúva. Uma família destroçada. Uma multidão bastante triste. Um governador envergonhado. Um presidente em silêncio.Por quê? Por causa de um relógio.
Como brasileiro, tenho até pena dos dois pobres coitados montados naquela moto com um par de capacetes velhos e um 38 bem carregado.
Provavelmente não tiveram infância e educação, muito menos oportunidades. O que não justifica ficar tentando matar as pessoas em plena luz do dia. O lugar deles é na cadeia.
Agora, como cidadão paulistano, fico revoltado. Juro que pago todos os meus impostos, uma fortuna. E, como resultado, depois do cafezinho, em vez de balas de caramelo, quase recebo balas de chumbo na testa.
Adoro São Paulo. É a minha cidade. Nasci aqui. As minhas raízes estão aqui. Defendo esta cidade. Mas a situação está ficando indefensável.
Passei um dia na cidade nesta semana -moro no Rio por motivos profissionais- e três assaltos passaram por mim. Meu irmão, uma funcionária e eu. Foi-se um relógio que acabara de ganhar da minha esposa em comemoração ao meu aniversário. Todos nos Jardins, com assaltantes armados, de motos e revólveres.
Onde está a polícia? Onde está a "Elite da Tropa"? Quem sabe até a "Tropa de Elite"! Chamem o comandante Nascimento! Está na hora de discutirmos segurança pública de verdade. Tenho certeza de que esse tipo de assalto ao transeunte, ao motorista, não leva mais do que 30 dias para ser extinto. Dois ladrões a bordo de uma moto, com uma coleção de relógios e pertences alheios na mochila e um par de armas de fogo não se teletransportam da rua Renato Paes de Barros para o infinito.
Passo o dia pensando em como deixar as pessoas mais felizes e como tentar fazer este país mais bacana. TV diverte e a ONG que presido tem um trabalho sério e eficiente em sua missão. Meu prazer passa pelo bem-estar coletivo, não tenho dúvidas disso.
Confesso que já andei de carro blindado, mas aboli. Por filosofia. Concluí que não era isso que queria para a minha cidade. Não queria assumir que estávamos vivendo em Bogotá. Errei na mosca. Bogotá melhorou muito. E nós? Bem, nós estamos chafurdados na violência urbana e não vejo perspectiva de sairmos do atoleiro.
Escrevo este texto não para colocar a revolta de alguém que perdeu o rolex, mas a indignação de alguém que de alguma forma dirigiu sua vida e sua energia para ajudar a construir um cenário mais maduro, mais profissional, mais equilibrado e justo e concluir --com um 38 na testa-- que o país está em diversas frentes caminhando nessa direção, mas, de outro lado, continua mergulhado em problemas quase "infantis" para uma sociedade moderna e justa.
De um lado, a pujança do Brasil. Mas, do outro, crianças sendo assassinadas a golpes de estilete na periferia, assaltos a mão armada sendo executados em série nos bairros ricos, corruptos notórios e comprovados mantendo-se no governo. Nem Bogotá é mais aqui.
Onde estão os projetos? Onde estão as políticas públicas de segurança? Onde está a polícia? Quem compra as centenas de relógios roubados? Onde vende? Não acredito que a polícia não saiba. Finge não saber. Alguém consegue explicar um assassino condenado que passa final de semana em casa!? Qual é a lógica disso? Ou um par de "extraterrestres" fortemente armado desfilando pelos bairros nobres de São Paulo?
Estou à procura de um salvador da pátria. Pensei que poderia ser o Mano Brown, mas, no "Roda Vida" da última segunda-feira, descobri que ele não é nem quer ser o tal. Pensei no comandante Nascimento, mas descobri que, na verdade, "Tropa de Elite" é uma obra de ficção e que aquele na tela é o Wagner Moura, o Olavo da novela. Pensei no presidente, mas não sei no que ele está pensando.
Enfim, pensei, pensei, pensei. Enquanto isso, João Dória Jr. grita: "Cansei". O Lobão canta: "Peidei". Pensando, cansado ou peidando, hoje posso dizer que sou parte das estatísticas da violência em São Paulo. E, se você ainda não tem um assalto para chamar de seu, não se preocupe: a sua hora vai chegar.
Desculpem o desabafo, mas, hoje amanheci um cidadão envergonhado de ser paulistano, um brasileiro humilhado por um calibre 38 e um homem que correu o risco de não ver os seus filhos crescerem por causa de um relógio.
Isso não está certo.

LUCIANO HUCK, 36, apresentador de TV, comanda o programa "Caldeirão do Huck", na TV Globo. É diretor-presidente do Instituto Criar de TV, Cinema e Novas Mídias.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

O ROLEX DE CHE...


UM POUCO DE LUZ POR ELIO GASPARI...



O socialismo precisa de um Rolex

Na semana dos 40 anos da morte do Che, Luciano Huck faz lembrar a herança do guerrilheiro

O CIDADÃO terminou suas pesquisas na biblioteca de Londres e vai para casa, no Soho (rua Dean, 23). Passa um sujeito, mostra-lhe uma faca e pede o relógio. Ao narrar o caso à sua mulher, ele diz:"Estou com 41 anos e a expectativa de vida neste inferno capitalista é de 40. A nossa dieta ultrapassa as 2.300 calorias que o proletariado consome. As condições de higiene e saúde desta cidade são infernais. Aos jovens restam poucas alternativas fora da sífilis e das prisões australianas. São as contradições do capitalismo e, por causa delas, fui assaltado por um garoto".
Pode ser que Karl Marx tenha dito diferente:"Jenny, um lúmpen roubou meu relógio".
Pobre Luciano Huck. Foi assaltado por dois sujeitos que, de revólver na mão, tomaram-lhe o Rolex. Reclamou num artigo publicado na Folha do dia 1º e teria feito melhor negócio se saísse por aí, cumprindo "missões" em cima de motoqueiros. Foi acusado de ganhar muito e, portanto, ser fonte da violência. Mais: quem manda "pendurar o equivalente a várias casas populares no pulso"? Disse que "isso não está certo" e perguntaram-lhe o que devem dizer as pessoas que vivem de salário mínimo. Fechando o ciclo, num artigo marginal-chique, o rapper Ferréz respondeu com o olhar dos assaltantes e os óculos de Madre Teresa de Calcutá: "Não vejo motivo para reclamação, afinal, num mundo indefensável, até que o rolo foi justo para ambas as partes".
Está mais ou menos entendido que o partido democrata perdeu a confiança dos americanos nos anos 80 porque deixou-se confundir com os defensores de bandidos. Cada um pode achar o que quiser (desde que não tome o relógio alheio), mas nesse caminho a discussão da segurança pública brasileira caminha para a formação de duas tropas, ambas julgando-se elite do seja lá o que for. Grita-se, para que tudo continue como está. O filme ensina: o traficante foucaultiano da PUC não foi para a cadeia e o PM larápio e covarde voltou para a tropa.
Por ser um profissional bem-sucedido e ter ganho um Rolex de presente da mulher (a apresentadora Angélica, igualmente bem-sucedida), Huck foi transformado num obelisco da desigualdade social brasileira.
Infelizmente, assaltos não melhoram o índice de Gini. No caso do Rolex do apresentador, especular o destino do dinheiro de sua venda é um exercício carnavalesco. Pode-se sonhar que tenha ido para uma família carente, mas é mais provável que tenha servido para fechar um trato de droga. Que tal as duas coisas, meio a meio? Uma coisa é certa, o Rolex voltará ao pulso de alguém disposto a pagar por ele.
Quis o Padre Eterno que esse debate indigente acontecesse logo na semana do 40º aniversário da execução de Ernesto Che Guevara, o Guerrilheiro Heróico. Se Angélica dissesse que deu o Rolex a Huck como parte dessas celebrações, a discussão ganharia um denso conteúdo ideológico.
Quando o Che foi assassinado, no mato boliviano, tinha dois Rolex. Um, modelo GMT Master, era dele. O outro, marcado com um X, era uma lembrança que tirara do pulso de um combatente agonizante. (O índice de com-Rolex dos guerrilheiros cubanos na Bolívia era de 12%, certamente um dos mais altos do mundo.)
Os relógios eram dois, mas há três por aí. Quem quiser pesquisar a herança de Guevara, pode começar investigando esse mistério.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

POR QUE QUEREM A VALE DE VOLTA?

LEIA O TEXTO ABAIXO E ENTENDA A RAZÃO DE O PT QUERER A VALE DO RIO DOCE DE VOLTA AO GOVERNO. PATRIOTISMO? AMOR PELA NAÇÃO? LEIA E REVOLTE-SE.

EM TEMPO, A VALE ESTATAL POSSUIA 11 MIL FUNCIONÁRIOS. HOJE, A VALE QUE DÁ LUCRO, POSSUI 56 MIL! http://www.cvrd.com.br/

SEM NOS ESQUERCERMOS, É CLARO, DO ESQUEMA DA VENDA DA SUZANO PETROQUÍMICA À PETROBRAS HÁ POUCAS SEMANAS. ESPECIALISTAS DIZEM QUE O VALOR PAGO FOI TRÊS VEZES MAIOR DO QUE O VERDADEIRO E PIOR: HOUVE QUE LUCROU MILHÕES COM INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS.

E NO PT E NO GOVERNO NÃO HÁ QUEM DÊ UM PIO SOBRE O INCÔMODO ASSUNTO... LULA-LÁ!



Diretores de estatais lideram lista doadores do PT em 2006

Indicados políticos repassaram R$ 133 mil ao partido ou à campanha de Lula

Oito entre os dez maiores contribuintes são dirigentes da Petrobras ou de elétricas; maior doador afirma se tratar de "obrigação política"

FÁBIO ZANINIDA SUCURSAL DE BRASÍLIA

Domínio do PT e motivo da cobiça de partidos aliados, as diretorias da Petrobras e das estatais elétricas são ocupadas por militantes que retribuem a indicação partidária contribuindo com seus cofres.

Cruzamento feito pela Folha na lista de doadores do partido em 2006 com a relação de 20 mil cargos de confiança federais mostra que os diretores de empresas públicas estão no topo do ranking. Juntos, 18 diretores repassaram R$ 133 mil ao caixa do PT ou à campanha de Luiz Inácio Lula da Silva. Dos dez maiores contribuintes, oito são de estatais.

O dado mostra como o partido está encastelado nas estatais e como são fiéis ao PT os diretores dessas empresas. Explica também porque é tão difícil para aliados como PMDB, PP, PTB e PR desalojarem esses petistas, em geral ocupantes de cargos com salários de R$ 15 mil a R$ 40 mil, maior que o de ministros. A disputa por cargos de direção na Petrobras abriu uma crise na base de Lula há duas semanas, que chegou a ameaçar a aprovação na Câmara da CPMF.

PMDB e PP reclamaram da indicação da petista Maria das Graças Foster, então presidente da BR Distribuidora, para a diretoria de Gás da Petrobras no lugar do também petista Ildo Sauer, sem que seus pleitos tivessem sido contemplados.Sauer, que deixou a Petrobras no mês passado, lidera o ranking dos servidores federais que mais contribuíram com o PT e Lula em 2006, com R$ 29.013,13 doados -o "13,13" foi referência intencional ao número do partido. Foster é a sexta colocada, com R$ 11 mil.

"Eu entendo que é nossa obrigação política. Escolhemos apoiar o PT há muitos anos. Não adianta só falar. Campanhas eleitorais infelizmente custam caro", disse Sauer, que se diz um defensor do financiamento público. Segundo ele, "é melhor que o partido receba de seus militantes do que ficar dependente de outros esquemas".

Petrobras

A Petrobras tem mais três servidores no "top 10" dos doadores: o presidente, José Sérgio Gabrielli, foi o segundo mais generoso: deu R$ 21.150. É seguido por Guilherme Estrella, diretor de Exploração (R$ 21 mil), cujo cargo é cobiçado pelo PP. Em nono lugar aparece Armando Ramos Tripodi, chefe-de-gabinete da presidência da estatal, com R$ 5.000.

Gabrielli deu uma explicação via assessoria: "Como cidadão brasileiro, pago meus impostos e não tenho que dar satisfação a ninguém sobre o destino que dou ao meu dinheiro". Segundo a Petrobras, a mesma posição têm Foster, Estrella e Tripodi.

Na batalha pela CPMF, a crise na Petrobras foi contornada com a promessa do governo de reorganizar o loteamento da estatal. Mas deve entrar em cena agora a disputa pelo setor elétrico, que deveria ser da cota do PMDB do Senado, mas está toda nas mãos de petistas.

Elétricas

Eletrobras, Eletrosul e o próprio ministério de Minas e Energia estão sendo tocados por interinos -todos petistas.

Valter Luis Cardeal, presidente interino da Eletrobras, repassou R$ 19.500 ao PT e a Lula no ano passado, o que faz dele o quarto mais generoso doador.

Logo atrás vem o petista Ronaldo Santos Custódio, que presidente interinamente a Eletrosul, com R$ 14.100 doados. Mais dois diretores da Eletrobras, dois da Chesf, um da Eletrosul e outro de Furnas fizeram contribuições.

As doações feitas ao partido pelos diretores de estatais são voluntárias. Além delas, há uma contribuição compulsória dos detentores de cargos de confiança petistas, o "dízimo", descontado do salário.

No governo Lula, houve expansão do número de cargos de confiança, muitos dos quais ocupados por petistas. Como conseqüência, a arrecadação do partido disparou.

De acordo com o levantamento da Folha, 274 detentores de cargos de confiança doaram ao PT no ano passado, num total de R$ 265 mil.

Os 18 diretores de estatais, apesar de representarem apenas 6,5% desse universo, responderam por 50,3% do montante de doações de servidores com cargos comissionados.Ao todo, a campanha de Lula arrecadou mais de R$ 81 milhões -a grande maioria entre pessoas jurídicas.

COMPANHEIROS SOCIALISTAS...

O MUNDO ESTÁ FAZENDO PROTESTOS CONTRA O REGIME MILITAR SOCILAISTA DE MIANMAR. EM TAIPEI, CIDADÃOS LIVRES, FORAM ÀS RUAS ENFRENTAR UM TUFÃO PARA PROTESTAR CONTRA O CAOS NA ANTIGA BIRMÂNIA.

POR AQUI, O GOVERNO LULA, ALINHADO A CASTRO, MORALEZ, CORREA E CHÁVEZ, NÃO APROVOU AS SANSÕES AMERICANAS CONTRA MILITARES COMPANHEIROS OPRESSORES DO POVO.

SOMOS RIDÍCULOS TRAVESTIDOS DE ESPERTOS...

VIVA A IDEOLOGIA DAS CAVERNAS DE LULA E SUA TRUPE!




Japoneses fazem funeral de repórter morto em Mianmar

Tóquio, 8 out (EFE).

O funeral do repórter japonês Kenji Nagai, baleado durante as manifestações a favor da democracia em Mianmar, foi realizado nesta segunda-feira em Tóquio com a presença de ativistas birmaneses que vivem no Japão, informou a agência "Kyodo".

Nagai, de 50 anos, morreu no dia 27 de setembro em Yangun, após ser baleado por disparos de soldados que tentavam dispersar a força os manifestantes que protestavam contra a Junta Militar birmanesa.

No funeral foi exibida uma reportagem de vídeo gravada por Nagai no Iraque, assim como sua câmara e fotos.

Além da família e de pessoas próximas a Nagai, vários ativistas birmaneses que vivem no Japão e que lutam pela instauração da democracia em seu país, assistiram à cerimônia e fizeram uma oferenda de incenso no altar para prestar homenagem ao jornalista.

"Nagai mostrou com seu exemplo que temos de ir até mesmo às regiões mais perigosas. Teremos de herdar sua determinação", afirmou no funeral Toru Yamaji, presidente da agência de vídeo japonesa "APF", onde repórter trabalhava.

O corpo de Nagai chegou ao aeroporto internacional de Narita, na região metropolitana de Tóquio, na quinta-feira passada, vindo de Mianmar via Bangcoc.

A Polícia japonesa realizou uma autópsia no corpo para investigar as causas da morte, diante da suspeita de que as forças de segurança birmanesas podiam ter baleado o jornalista intencionalmente.

O relatório do legista constatou que Nagai morreu em decorrência dos ferimentos causadas no fígado por uma bala que entrou em seu corpo pelo lado esquerdo.

Kenji Nagai estava acostumado a cobrir conflitos e tinha trabalhado nas guerras do Iraque e Afeganistão.

FOME ZERO?


Cesta básica em São Paulo atinge maior valor desde 1994

SÃO PAULO - A cesta básica pesou 1,68% mais no bolso do paulistano em setembro, na comparação com o mês anterior. Com isso, o preço médio dos 31 produtos cotados passou de R$ 234,21 em 31 de agosto para R$ 238,14 no mesmo dia de setembro - registrando o maior valor desde o início do Plano Real, em 1994.

Os dados, divulgados nesta terça-feira (9), fazem parte da pesquisa mensal realizada pela Fundação Procon de São Paulo em convênio com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos).

CAMPEONATO MUNDIAL DE DEMOCRACIA: "EL COMANDANTE" COMANDA A BARBÁRIE...


O MAIOR DEMOCRATA CRISTÃO DAS AMÉRICAS É, TAMBÉM, O PRESIDENTE ELEITO PELO POVO CUBANO HÁ MAIS TEMPO NO PODER:


LISTA DE DITADORES DO PLANETA:

1) FIDEL CASTRO (CUBA) 48 ANOS DE DITADURA SOCIALISTA (CAMPEÃO INVICTO! "AHÁ, UHÚ, EL FIDEL ÉS NUESTRO!", GRITA ORGULHOSA A ESQUERDA LATINA PROGRESSISTA...)

2) OMAR BONGO (GABÃO) 40 ANOS SEM LARGAR DO PODER (SEGUNDÃO, MAS TÁ NO VÁCUO DO CUBANO)

3) MUAMAR KADAFI (LÍBIA) 38 ANOS SEM ELEIÇÕES (TERCEIRO, MAS QUERENDO O PRIMEIRO LUGAR!)

4) ALI ABDULLAH SALEH (IÊMEN) 25 ANOS NA MAMATA (QUARTO, MAS NÃO ESTÁ NEM AÍ!)

5) MAUMOON ABDUL GAYOOM (MALDIVAS) 29 ANOS SEM SAIR DE CIMA (EM QUINTO, REZA TODAS AS MANHÃS PARA SANTA RITA DO PASSA QUATRO!)

CENTÉSIMO VIGÉSIMO SEGUNDO!

O BRASIL É O 122º ENTRE 178 PAÍSES QUANDO O ASSUNTO É "AMBIENTE DE NEGÓCIOS".

ESTAMOS DE OLHOS ABERTOS?

ELEMENTAR, MEU CARO WATSON...

O SHERLOCK DAS ALAGOAS E AINDA (!) PRESIDENTE DO SENADO DO BRASIL, RENAN CALHEIROS, INVESTIGA A TUDO E A TODOS. RAZÃO? TER APRENDIDO COM O PT. NÃO FOI ASSIM QUANDO SE DESCOBRIU A "CALÚNIA" DO MENSALÃO? OS PETISTAS ACUSAVAM O PSDB - JOÃO PEDRO STÉDILE CHEGOU A DIZER QUE TUDO ERA ARMAÇÃO DOS "FALCÕES DE WASHINGTON" - DE TER PARTE COM OS NEGÓCIOS MACABROS DE MARCOS VALÉRIO E O PEDIDO DE IMPEACHMENT DE LULA FICOU NA DESCULPA ESFARRAPADA DE NÃO HAVER "MOBILIZAÇÃO DA POPULAÇÃO". E TUDO FICOU POR ISSO MESMO: LULA-LÁ - O MAIOR BENEFICIADO COM O MENSALÃO - FOI REELEITO COM A "FORÇA DO POVO" E PONTO FINAL.

RENAN QUER O MESMO: INTIMIDAR PARA CONTINUAR. E ISSO ELE PARECER SABER FAZER COM MAESTRIA.

ESSE É O BRASIL DA ESQUERDA "PROGRESSISTA" E DOS ELEITORES QUE SABEM VOTAR, DOS ESPERTOS...

A PERGUNTA QUE INSISTE EM NUNCA SE CALAR: POR ONDE ANDA O HOMEM HONESTO? O HOMEM DE CARÁTER?





Renan levanta dados sobre despesas de todos os senadores

Gasto com verba indenizatória, às vezes atestado com nota fria, serviria de munição contra adversários do senador

Expedito Filho e Ana Paula Scinocca

A direção do Senado produziu nos últimos meses um raio X dos gastos oficiais de todos os senadores. O dossiê começou a ser feito após as primeiras denúncias contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) no Conselho de Ética. O diretor-geral do Senado, Agaciel da Silva Maia, pediu à Secretaria de Controle Interno uma cópia, em papel, da prestação de contas da verba indenizatória de todos os 81 senadores. Na papelada, estão as despesas feitas pelos parlamentares e as respectivas notas que, pelo menos em tese, comprovam como o dinheiro foi gasto. A verba indenizatória, de R$ 15 mil, é mensal, mas a explicação para os gastos é entregue a cada três meses.

O movimento do diretor-geral fez parte de uma série de ações organizadas por Renan para intimidar os colegas que ameaçam votar a favor de sua cassação. As informações obtidas por Agaciel serviriam como munição porque, em muitos casos, as notas apresentadas seriam frias, indicariam gastos incompatíveis ou inapropriados. Nas mãos de Renan e de sua tropa de choque, o rol de supostas irregularidades representaria o aumento de poder de barganha e intimidação perante os senadores flagrados em deslizes.

A produção do dossiê foi confirmada ao Estado ontem por três pessoas. Elas contaram que Agaciel teria agido a mando de Renan. Da Espanha, o diretor-geral telefonou ontem para um funcionário da secretaria, que seria amigo do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), para saber se o parlamentar havia dito algo especial.

"Sei que você é amigo do Demóstenes. Gostaria de saber se ele te pediu alguma coisa", teria dito o diretor-geral ao funcionário, segundo relato de pessoas que presenciaram a conversa. O servidor negou: "Sou funcionário do Senado Federal."

NOTAS

Ainda da Europa, Agaciel enviou uma nota, lida em plenário pelo primeiro vice-presidente da Casa, senador Tião Viana (PT-AC), na qual diz que os funcionários do quadro permanente do Senado "têm seu procedimento administrativo regulado por lei, sendo seu dever acatá-la de forma plena, sem qualquer espaço para ações informais, não previstas no quadro de funções administrativas". E prossegue: "No que se refere à prestação de contas, destacamos não haver nada a ser investigado, uma vez que todas as despesas do Senado são realizadas dentro da estrita legalidade e auditadas pela Secretaria de Controle Interno e pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

"A preocupação de Agaciel de se antecipar na defesa do sigilo das contas não surpreendeu os senadores. Vários confirmaram a suspeita de que havia vazamento da prestação de contas de colegas. O primeiro sinal de que o rastreamento havia sido feito foi emitido por Renan em 12 de setembro, data de sua absolvição no primeiro processo de cassação. Na sessão secreta, ele fez ameaça direta ao senador Pedro Simon (PMDB-RS).

Encarando Simon, Renan disse que, se quisesse misturar o público com o privado, teria contratado a produtora da jornalista Mônica Veloso - com quem teve uma filha e se tornou pivô da primeira denúncia contra ele. Simon teria apresentado notas de produtora para justificar parte de seus gastos referentes à verba indenizatória.

Renan fez outras ameaças. Ao todo, já levantou suspeitas sobre dez colegas. Um parlamentar resumiu assim a estratégia do presidente do Senado: "Ele está utilizando a tática do gambá: espalhando mau cheiro para todo lado na tentativa de igualar todos." São alvos de Renan: José Agripino Maia (DEM-RN), Tião Viana (PT-AC), Pedro Simon (PMDB-RS), Ideli Salvatti (PT-SC), Jefferson Péres (PDT-AM), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Aloizio Mercadante (PT-SP), Serys Slhessarenko (PT-MT), Demóstenes Torres (DEM-GO) e Marconi Perillo (PSDB-GO).

Como se tivesse um serviço particular de inteligência, Renan recolheu contra cada um deles indícios - verdadeiros ou não - de irregularidades para constrangê-los. No PT, a desconfiança é de que ele esteja sendo orientado e aconselhado pelo deputado Jader Barbalho (PMDB-PA). Jader já foi presidente do Senado e renunciou ao mandato para escapar de cassação.

RENDA

Apesar de buscar dados sobre o uso da verba indenizatória pelos colegas, Renan também se complicou com esse assunto, ao se defender da primeira denúncia - de ter contas pessoais pagas por um lobista. Ele citou a verba para inflar seus vencimentos.

Só que essa verba não é renda e sim ressarcimento de despesas - como aluguel e combustíveis - para o exercício do mandato no Estado de origem. Além disso, é paga mediante a apresentação de notas e não é tributável. A verba indenizatória, em 2006, foi citada pela defesa de Renan como sua segunda maior fonte de renda: R$ 244.632,68.

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

CORVOS DO PLANALTO CENTRAL...

video

HÁ MUITO TEMPO EU NÃO RIA TANTO.

SENSACIONAL!

SHELL RESPONDE: A CARTA É FALSA!!!

AQUI VÃO A MINHA PERGUNTA E A RESPOSTA DE RICARDO DAVID, ASSESSOR DE IMPRENSA DA SHELL, SOBRE A SUPOSTA CARTA DE LULA À EMPRESA NOS ANOS 80: A CARTA É MAIS FALSA DO QUE A DECLARAÇÃO DO PRÓPRIO LULA DE QUE O MENSALÃO É UMA "CALÚNIA".

PURA MALDADE DAS "ZELITES" DESSE PAÍS...




André, esse email é falso.

Ricardo David Assessoria de Imprensa / Media Relations Shell Brasil Ltda Avenida das Américas 4200, Barra da Tijuca - Cep. 22640 102 Rio de Janeiro, Brasil
Tel: +55 21 3984 7691 Fax: 7888 Celular: +55 21 9162 1917 Email: ricardo.david@shell.com Internet:
http://www.shell.com.br

"Este e-mail, qualquer anexo e sequência de respostas, pode conter dados ou informações confidenciais e gozar de proteção profissional. Caso o tenha recebido por engano, por favor (i) notifique o remetente imediatamente por meio do envio de e-mail, (ii) não leia, copie, imprima ou repasse esta mensagem ou qualquer anexo, ou divulgue seu(s) conteúdo(s) a terceiros, e (iii) apague-o imediatamente de seu sistema. Comunicações eletrônicas não são seguras e portanto não aceitaremos responsabilidade relativa ao uso desta mensagem (incluindo mas não limitado a danos causados por qualquer virus), na medida em que a mesma foi transmitida por rede pública."

"This e-mail, any attachment and response string may contain confidential data or information and may be legally privileged. If you have received it in error, please (i) notify the sender immediately by reply e-mail, (ii) do not read, copy, print or forward this message or any attachment, or disclose its/their contents to any person, and (iii) delete it from your system immediately. Electronic communications are not secure and therefore we will not accept responsibility connected with the use of this message (including but not limited to damages sustained as a result of any viruses), as it has been transmitted over a public network."
-----Original Message-----
From: André Arruda Plácido [mailto:apjornalista@]

Sent: Wednesday, October 03, 2007 17:29

To: SBRASOP Assessoria de Imprensa SBRASOP-ITL

Subject: CARTA LULA


Olá,

Recebi esse texto há pouco e gostaria de saber se é verdeira a carta.


Carta à Shell - 1986 - Relíquia histórica

CARTA ENVIADA À SHELL NOS ANOS 86

Este fato é verdadeiro. A Shell tem a carta arquivada. Isto é
FANTÁSTICO. NÃO TEM PREÇO, UMA RARIDADE.

A empresa Shell abriu seus arquivos e veio a conhecer o conteúdo é uma
carta enviada por um consumidor, nos anos 80, ao seu Serviço de
Atendimento ao Consumidor. Ela está transcrita na sua forma original,
inclusive com os erros gramaticais. Conheça a carta:

Olá!Tenho um Corcel II 1986 a álcoo e sou cliente dos posto Shell. Não
abasteço em nenhum otro posto há mais de 5 ano. Tô escrevendo porque tô
com uma dúvida na qual acho que vocês são os mais indicado a me ajuda. A
questã é que tô progamando uma viage para domingo dia 27/10. Nesse dia
será realizado o 2º turno das eleição e mais uma vez vai tê a proibição
de venda de álco da meia noite até a meia noite de domingo. A chamada
lei seca. Mas o trajeto que pretendo percorre no domingo é muito maior
do que cabe de alco no tanque do meu carro, logo, já que não vai tê
venda de álcoo, vô te que carrega em alguma vasilha o resto que segundo
meus cálculo, é um tanque e meio,quase 100 litro. Gostaria de sabe qual
a vasilha mais segura pra transportao alco ou se tem alguma outra
solução pro meu pobrema. Pensei em talvez abastece com gasolina, já que
a proibição de venda é só de álco, pelo que eu vi. Caso a solução seja
mesmo a de transporta o combustíve a sê usado, gostaria de sabe se algum
posto de vocês na região da Grande ABC poderia fazê um desconto, já que
eu estaria comprando mais de 150 Litro de álco no sábado. Conto com a
ajuda de vocês.

Assinado: Luis Inacio da Silva Torneiro Mecânico São Bernardo do Campo/SP

Resposta da SHELL: Prezado Sr. Luis Inácio da Silva

Em retorno à sua carta, gostaríamos de esclarecer que a lei a que o
senhor se refere, proíbe apenas a venda de bebidas alcoólicas nos dias
de eleições e não a de combustíveis automotores.

Shell Brasil S.A. Petróleo

André Arruda Plácido
Relações Públicas e Jornalista

http://www.andrearrudaplacido.blogspot.com/ http://www.andrearrudaplacidofotos.blogspot.com/